Ladeira Alexandre Leonel nº 221 | 1º andar | Spazio Design | Juiz de Fora - MG
Marque sua Consulta

Blog

Voltar

Como tratar entorses e estiramentos no joelho?

O tratamento de estiramentos no joelho está entre os principais motivos de ida dos pacientes ao meu consultório. Em geral, um entorse ou um estiramento em situações de traumas ou acidentes.

 

Mas engana-se quem pensa que eles podem ocorrer apenas na prática esportiva. Pelo contrário, esse tipo de lesão acontece também no trabalho, ou mesmo em atividades corriqueiras dentro de casa

 

Em geral, os sintomas de uma lesão no joelho, decorrente de um entorse ou de um estiramento, incluem dor, edema articular, instabilidade (com estiramentos graves) e bloqueio (com algumas lesões no menisco). E quanto antes for tratado, melhor será a recuperação do paciente.

 

Para ampliar o conhecimento no tema, e permitir que as pessoas compreendam quando procurar um ortopedista para tratar estiramentos no joelho, preparei o artigo a seguir. Confira!

 

O que é o estiramento no joelho?

O estiramento é uma lesão que ocorre nas estruturas do joelho em associação a um trauma, quando um movimento da articulação ultrapassa o seu limite sobrecarregando os ligamentos e os meniscos. Para entender melhor precisamos explicar um pouco mais sobre os ligamentos do joelho.

 

Temos dois ligamentos cruzados, o anterior (LCA) e o posterior (LCP), que são dois ligamentos que ficam na parte interna do joelho e trabalham juntos para fornecer estabilidade ântero-posterior. O LCA impede que a tíbia deslize para frente ao longo do fêmur, enquanto o LCP impede que a tíbia e o fêmur deslizem para trás. Além deles, temos ainda os ligamentos colaterais, lateral e medial, que dão a estabilidade para as laterais do joelho.

 

Eles também são locais comuns de lacerações graves, principalmente em atletas. Embora as lesões dos ligamentos possam inicialmente parecer ter sintomas semelhantes, como instabilidade e dor no joelho, os ligamentos têm características únicas que os tornam diferentes em termos de quem é afetado, extensão da lesão e diretrizes de tratamento.

 

Porém, quando ocorre um movimento além da força do ligamento, estamos diante de um estiramento no joelho. A causa mais comum são os entorses do joelho, situações onde o pé ou a perna ficam presos ao solo e o corpo gira em torno do joelho.

 

Em algumas situações o estiramento pode acontecer também em consequência de uma queda forçando que o joelho se abra, para fora ou para dentro, podendo comprometer algum dos ligamentos colaterais ou até mesmo os ligamentos cruzados e os meniscos.

 

Um entorse pode afetar o menisco?

O menisco é uma pequena estrutura cartilaginosa no joelho, situada entre a tíbia (tíbia) e o fêmur (osso da coxa). Cada joelho tem dois meniscos — um na parte interna e outro na parte externa do joelho. O menisco interno é denominado menisco medial e o externo é denominado menisco lateral. 

 

Seus meniscos são estruturas em forma de meia-lua que fornecem absorção de choque à articulação do joelho e ajudam a articulação a deslizar e deslizar adequadamente quando você dobra e estica o joelho. 

 

Os meniscos atuam como absorvedores de choque e também fornecem amortecimento e estabilidade para o joelho, razão pela qual qualquer ruptura ou dano ao menisco resulta em dor, inchaço e, às vezes, uma sensação de que o joelho está cedendo. Embora as rupturas do menisco do joelho sejam comuns em atletas, pessoas mais velhas também correm risco de lesão.

 

Quando ocorre uma ruptura do menisco, o tratamento geralmente é necessário. A boa notícia é que nem todas as rupturas do menisco requerem tratamento cirúrgico. No entanto, existem algumas situações em que as rupturas do menisco respondem melhor à intervenção cirúrgica.

 

Além disso, muitas vezes o dano à cartilagem, seja cartilagem meniscal ou cartilagem articular, é o resultado de um processo degenerativo crônico. Embora isso possa causar sintomas significativos, nessas situações, o tratamento cirúrgico geralmente não é melhor do que o tratamento não cirúrgico.

 

É por isso que muitos cirurgiões estão realizando menos cirurgias em pessoas com artrite leve a moderada do joelho que apresentam sinais de cartilagem rompida. Nesses indivíduos, o tratamento cirúrgico pode ter benefícios mínimos ou nenhum benefício.

 

Tratamento para os entorses e estiramentos

O tratamento para lesões do tipo estiramento, sem que haja um ruptura completa do ligamento são  essencialmente as mesmas, mas será diferente dependendo do grau da lesão. Isso vale principalmente para lesões dos ligamentos colaterais e do ligamento cruzado posterior.

 

  • Grau 1: O ligamento está ligeiramente alongado, mas o joelho está estável.
  • Grau 2: O ligamento se soltou ou está parcialmente rompido.
  • Grau 3: Há ruptura completa do ligamento.

 

Dependendo do grau, a lesão pode ser tratada com o protocolo RICE: repouso, gelo, compressão e elevação (em inglês rest, ice, compression, and elevation). A fisioterapia é frequentemente recomendada para recuperar a força articular e a amplitude de movimento. As rupturas completas podem exigir cirurgia artroscópica e reconstrução ligamentar.

 

Já quando falamos de lesões e rupturas do LCA temos mais diferenças em relação ao tratamento das lesões do LCA, existindo uma maior probabilidade de intervenção cirúrgica. Isso se deve à baixa capacidade de cicatrização do LCA e por sua lesão estar mais associada a pacientes jovens e muito ativos, geralmente praticantes de esportes com maior demanda sobre o joelho.

 

Mas nem todos com uma ruptura completa do LCA precisarão de cirurgia. Pessoas que são muito inativas ou são mais idosas geralmente podem conviver com a lesão fazendo uso de uma joelheira ou dispositivo de mobilidade assistida após uma ruptura do LCA associado a um trabalho fisioterapêutico complementar.

 

Por outro lado, a maioria das lesões isoladas do LCP pode cicatrizar sozinhas sem cirurgia e pode exigir apenas muletas e um imobilizador de joelho para evitar o movimento do joelho durante a recuperação.

 

Não negligencie seu joelho!

O joelho está entre as principais articulações do corpo humano, e por conta disso, merece sempre uma atenção especial. Qualquer dor deve ser observada e, se ela durar mais dias, procure um ortopedista para diagnosticar qual o problema.

 

Manter um estilo de vida saudável, evitando em especial o sobrepeso, é essencial para evitar essa sobrecarga nos joelhos. Além disso, a prática esportiva também deve ser feita observando algumas características pessoais antes do seu início, já que movimentos ou impactos além do recomendado podem causar danos.

 

Sobre o tema do nosso blog, quando se fala em tratar entorses e estiramentos no joelho, é importante saber que há essa relação entre essas situações. Cuidar do seu joelho é sinônimo de qualidade de vida. E caso queira saber mais sobre as cirurgias no menisco, confira o vídeo que gravei especialmente sobre o tema no meu canal no Youtube!

 

 

Notícias Recentes

Retorno ao esporte após cirurgia no ligamento cruzado anterior

  Como é o retorno ao esporte após cirurgia...
Saiba mais

Dor no joelho ao dobrar e esticar: o que pode ser?

A dor no joelho ao dobrar e esticar a perna pode afet...
Saiba mais

Conheça com detalhes a anatomia do joelho

    O joelho é uma estrutura complex...
Saiba mais